¿Que es RAP-AL?
Links
Publicaciones
Plaguicidas
Transgénicos
Campañas
Seminarios
Noticias
Base de datos
Alternativas
 
Cumplan la promesa: Eliminen los COPs
Revista Enlace
No a las fumigaciones del plan Colombia
DIA INTERNACIONAL DEL NO USO DE PLAGUICIDAS
Descarga Afiche

Descarga Afiche

Descarga Afiche
Noticias | Noticias Antiguas | Comunicados Antiguos

Share |
Noticias

Brasil: Crimen ambiental por derrame de endosulfán en el Norte de Espíritu Santo

(29/10/2012)

Brasil: Derrame de endosulfán causa crimen ambiental en el Norte de Espíritu Santo

El hecho ocurrió al inicio de la semana pasada, el 15 de octubre de 2012, en la comunidad de São João Bosco, municipio de Jaguaré, al norte del estado de Espíritu Santo, cuando un agricultor conocido como Seu Ratinho inyectaba el veneno en el irrigador para pulverizar su cafetal. Al desconectar la bomba, el sistema que controlaba la salida del veneno paró de funcionar, lo que provocó la fuga de todo el agrotóxico en el canal 16, contaminando el agua y el suelo de la región. El canal 16 desagua en Jundiá, riachuelo que alimenta la represa de Jundiá, principal fuente de abastecimiento de agua de la ciudad. El agua del canal es utilizada para la alimentación humana y animal, además de servir para irrigar las plantaciones de los agricultores. El veneno que contaminó el canal es el endosulfán, contaminante orgánico persistente, forma parte del Convenio de Estocolmo y de Rotterdam sobre sustancias químicas peligrosas para la salud y el ambiente. De acuerdo con las informaciones de los campesinos, se encontraron en las márgenes de los canales millares de peces que murieron envenenados a raíz de la contaminación del agua con endosulfán.

http://www.contraosagrotoxicos.org/index.php/inicio/263-vazamento-de-agrotoxicos-causa-crime-ambiental-no-norte-do-es


Vazamento de agrotóxicos causa crime ambiental no norte do ES

O fato faz parte de série de crimes ocorridos em vários municípios do estado em decorrência da utilização dos agrotóxicos na agricultura.


O Espírito Santo é palco de mais um crime ambiental provocado pelo uso de agrotóxicos na agricultura. O fato ocorreu no início da semana passada (15/10), na comunidade de São João Bosco, município de Jaguaré, norte do estado, quando o agricultor, conhecido como Seu Ratinho, injetava veneno na irrigação para pulverizar seu cafezal. Ao desligar a bomba, a bóia que controlava a saída do veneno parou de funcionar, o que provocou o vazamento de todo o agrotóxico no córrego 16, contaminando a água e o solo da região.

O córrego 16 deságua no Jundiá, riacho que alimenta a represa de Jundiá, a principal fonte de abastecimento de água da cidade. A água do córrego é utilizada para a alimentação humana e animal, além de servir para irrigar as plantações dos agricultores.

O veneno que contaminou o córrego é o endolsulfan, considerado altamente tóxico e associado a problemas reprodutivos e do sistema endócrino, banido em 45 países. Em 2011, ele ficou proibido de ser importado pelo Brasil, pois fazia parte de uma lista de 14 agrotóxicos submetidos à reavaliação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por causa das suspeitas de associação com problemas graves de saúde. Entretanto, ainda é utilizado nos cultivos de cacau, café, cana-de-açúcar e soja. A partir de 2013 o agrotóxico não poderá mais ser comercializado e usado no país. De acordo com relatos de camponeses, foram encontrados nas margens dos córregos milhares de peixes que morreram envenenados por conta da contaminação da água. Eles ainda relatam que as aves que se alimentam dos peixes também estão se contaminando e morrendo. “Ninguém agüenta o fedor, dá para sentir o cheiro de longe”, afirmou um camponês da região, que preferiu não se identificar.

O camponês estava preparando uma horta aos arredores de sua casa e teve que utilizar a água de seu poço para fazer a irrigação. “Se eu dependesse apenas da água do rio, minhas hortaliças não iam se desenvolver e minha família ia ficar sem alimentos”, denunciou. Entretanto, afirma que muitas famílias ainda dependem do córrego e estão correndo o risco de ingerir venenos.

O Instituto Estadual de Meio Ambiente (Iema) esteve no local e colheu amostras da água do riacho para fazer análises. Até o momento ainda não se posicionou sobre o ocorrido.

http://www.contraosagrotoxicos.org/index.php/inicio/263-vazamento-de-agrotoxicos-causa-crime-ambiental-no-norte-do-es





Noticia Fuente: http://www.contraosagrotoxicos.org/index.php/inicio/263-vazamento-de-agrotoxicos-causa-crime-ambiental-no-norte-do-es